Como prevenir a conjuntivite?

A conjuntivite é uma doença ocular muito comum durante o verão, mas também pode surgir em qualquer época do ano. Quando causada por vírus, ela é altamente contagiosa, se espalhando com muita facilidade. Prevenir a conjuntivite não é tão simples assim, mas algumas atitudes podem ajudar a proteger os seus olhos da doença.

Mas o que é a conjuntivite? A doença é uma inflamação da conjuntiva – a membrana mucosa fina e transparente que recobre a parte branca dos olhos e também a região interna da pálpebra – e pode ser causada por vírus, bactérias e também por alergias. Apesar de não ser grave, a conjuntivite é incômoda e pode prejudicar a qualidade de vida e a rotina do indivíduo por alguns dias.

Antes de vermos como se prevenir da doença, é importante diferenciar cada tipo de conjuntivite e suas características e principais diferenças.

Conjuntivite alérgica

Esse tipo da doença é mais comum em pessoas que já sofrem de outras alergias – como rinites, bronquites, etc –  e não é contagiosa. A conjuntivite alérgica pode ser causada por vários agentes irritantes dos olhos, como pólen, poeira, pelos de animais, produtos de limpeza, maquiagem e mofo. A doença atinge cerca de 20% da população mundial e os sintomas são a coceira nos olhos e nas pálpebras, vermelhidão, queimação, secreção pegajosa e branca e sensibilidade à luz. Em alguns casos, pode haver congestionamento e corrimento nasal. 

O tratamento desse tipo de conjuntivite é feito com colírios antialérgicos e lubrificantes. Porém, como se trata de uma doença sazonal, é importante tratar da alergia antes das crises ou dos meses em que esses problemas costumam se desenvolver.

Conjuntivite bacteriana

Causada por bactérias, esse tipo de conjuntivite é a mais perigosa e, quando não tratada corretamente, pode se espalhar para a córnea, causando dores e dificuldade para enxergar.

A conjuntivite bacteriana é caracterizada pela vermelhidão nos olhos, secreções amareladas ou esverdeadas no canto do olho, hipersensibilidade à luz, dor ocular e produção excessiva de lágrimas.

Esse tipo da doença é contagiosa e incômoda. O tratamento é feito com colírios ou pomadas antibióticas. Nos casos de conjuntivite bacteriana, é importante visitar o médico Oftalmologista aos primeiros sinais para evitar complicações e também para amenizar os sintomas.

CLIQUE NO LINK E LEIA TAMBÉM NOSSOS E-BOOKS:

Conjuntivite viral

As conjuntivites virais são muito contagiosas e são transmitidas pelo ar, pelo contato com pessoas e com objetos contaminados e até mesmo pela água da piscina. Essas conjuntivites podem ser passadas também por uma simples tosse ou espirro.

Como existem vários tipos de vírus, a doença pode se apresentar de diversas formas, alguns casos mais brandos, outros mais agressivos, causando desconforto ao paciente. Algumas pessoas podem ter febre, dores de garganta e dores pelo corpo.

Os principais sintomas no conjuntivite viral são olhos vermelhos, coceira intensa, lacrimejamento, sensibilidade à luz e a presença (ou não) de secreção branca ou amarelada.

Por se tratar de uma infecção viral, apenas os sintomas são tratados com o uso de soro fisiológico gelado, de compressas sobre as pálpebras, de colírios lubrificantes e limpeza frequente dos olhos. A conjuntivite viral desaparece sozinha após alguns dias.

Como prevenir a conjuntivite

Como vimos até aqui, as conjuntivites bacterianas e virais são muito contagiosas e por isso algumas precauções podem evitar que você seja mais uma vítima dessa infecção tão desconfortável. Separamos 10 dicas simples e que vão proteger os seus olhos daquela vermelhidão inconveniente:

  1. Não compartilhe itens pessoais;
  2. Evite esfregar ou tocar nos olhos;
  3. Lave as mãos com frequência;
  4. Use álcool em gel para desinfetar as mãos, principalmente em lugares públicos;
  5. Se você sofre de alergias, faça tratamentos antes dos períodos de crise;
  6. Siga corretamente as instruções de uso e descarte de lentes de contato;
  7. Use óculos de natação em piscinas, principalmente as que são usadas por muitas pessoas;
  8. Higienize os objetos compartilhados, como teclados, controles remotos e telefones;
  9. Evite usar maquiagem de outras pessoas;
  10. Não use colírios e pomadas sem prescrição médica.

Apesar de ser impossível escapar 100% da conjuntivite, já que o contágio acontece também pelo ar, essas atitudes podem ajudar a proteger os seus olhos dessa infecção, principalmente quando há surtos da doença.

Preste atenção nos seus olhos. Ao primeiro sinal de vermelhidão, coceira e secreção, procure um médico Oftalmologista.