Glaucoma

Glaucoma é considerado a principal causa de cegueira irreversível no mundo. A grande maioria dos casos não apresenta sintomas específicos, fazendo com que o paciente demore a procurar o especialista, dificultando o diagnóstico precoce.

O nervo óptico, estrutura que leva as imagens captadas pelos olhos até cérebro, é o principal alvo e, quando atingido, sofre uma lesão irreversível e consequente perda do campo visual. Esse dano é causado por diversos fatores, entre eles, a elevação da pressão intraocular é a principal causa. Assim sendo, a alteração da pressao ocular é um fator de risco primário e, quando avaliada isoladamente, pode não definir a doença.

Fatores de risco: Oculares – aumento da pressão intraocular, miopia, espessura central da córnea fina, córnea plana, diâmetro axial reduzido, câmara anterior rasa e ângulo oclusível; Fatores sistêmicos: fenômeno de Reinauld, doenças vasculares isquemias, doenças autoimunes, hipotensão arterial sistêmica, vasculites e oclusão de carótidas; Medicamentosos: uso de corticoides; Demográficos: negros, asiáticos, esquimós e índios; Genéticos: história familiar positiva.

Exames para avaliação do glaucoma: tonometria, gonioscopia, campo visual, avaliação do disco óptico, retinografia e OCT de papila.

Tratamentos: tem como objetivo alcançar a pressão alvo e impedir a progressão dos danos ao nervo óptico, oftalmologista irá definir o melhor tratamento para cada caso, entre eles estão: uso de colírios antiglaucomatosos, tratamentos cirúrgicos e à laser.

Dra Thaynara do Carmo e Dra Fernanda Ribeiro de Oliveira
Orientados por Dr Nelson Chamma
Responsável Técnico: Dr Caio Regatieri