Neuroftalmologia

A Neuroftalmologia é a subespecialidade da oftalmologia responsável pela investigação e estudo das manifestações oculares; as quais estão relacionadas aos distúrbios visuais devido as doenças do sistema nervoso, vias de condução pelo nervo óptico e distúrbios oculares motores (movimentação dos olhos).

Essa subespecialidade dedica-se as diversas doenças neurológicas que podem manifestar-se através de sinais e sintomas oftalmológicos. Tais doenças podem prejudicar a via dos estímulos de luz provocando distúrbios oculares sensitivos e motores. Distúrbios esses ocasionados de duas formas: doenças que impossibilitam os centros coordenadores, responsáveis pela realização do processo no qual a luz refletida por objetos seja traduzida em uma imagem no sistema nervoso central (transdução sensorial); ou distúrbios responsáveis pela oculomotricidade (movimentação dos olhos). Ou seja, problemas visuais que podem não estar, originalmente, nos próprios olhos.

Este grupo de doenças manifesta-se usualmente com sintomas como: perda da visão súbita, transitória ou crônica, duplicação da visão, turvação visual, pupilas com tamanhos diferentes, pálpebras caídas, movimentos anormais dos olhos, desvio do olhar, perda de parte ou total do campo visual.

Seguindo uma avaliação diagnóstica, alguns passos deveram ser analisados durante o exame médico a fim de rastrear possíveis danos reversíveis ou não-reversíveis durante a investigação neuroftalmológica. São eles: a acuidade visual, percepção da cor, avaliação do campo visual central e de sua periferia, analise dos movimentos oculares e palpebrais, reflexos pupilares e a fundoscopia (exame de fundo de olho).

Um bom passo a passo na avaliação de cada caso deve ser guiado pela sua história clínica e em alguns exames complementares que durante a investigação contemplem os achados dos sinais e sintomas apresentados pelo paciente. Assim, como em qualquer especialidade médica, exames complementares devem ser requisitados, quando necessários ,para reforçar e certifica-e dos achados presentes da doença em questão incluindo testes visuais com estímulos luminosos, tomografia de coerência óptica, retinografia, potencial evocado visual, teste de Hess, exames de imagem cerebral e orbitária (exemplo: Tomografia computadorizada, Ressonância magnética) e punção lombar.

  A Neuroftalmologia é importante sob vários pontos de vista. A avaliação neuroftalmológica permite frequentemente informar e confirmar com uma maior rapidez a possibilidade de determinar que uma queixa visual possa ser um problema no sistema nervoso central, excluindo assim um distúrbio exclusivo oftalmológico. Mais ainda, a neuroftalmologia permite, na maior parte das vezes, identificar com precisão a lesão no trajeto do sistema nervoso. Por exemplo, um defeito de campo visual periférico que afete de igual modo os dois olhos sugere fortemente a presença de uma lesão no lobo occipital contralateral ao defeito de campo visual. Um outro ponto relevante a ter em conta na prática da neuroftalmologia é a possibilidade de se quantificar com rigor, sinais e sintomas visuais decorrentes de doenças díspares, e desta forma permitir uma detecção precoce e/ou acompanhamento rigoroso da evolução de muitas destas doenças.

As doenças neuroftalmológicas podem incluir diversas manifestações relacionadas ao nervo óptico, de origem: inflamatória, compressiva, vascular, degenerativa ou hereditária. Doenças que se manifestam nas vias no quiasma óptico ou no seu trajeto até o lobo occipital, predominando aqui as doenças vasculares (por exemplo: Acidente Vascular Cerebral – AVC e/ou tumorais); estrabismo (desvio do olhar) adquirido subitamente ou em uma progressão de alguma doença, ou por doenças neuromusculares (por exemplo: miastenia ocular); distúrbios da oculomotricidade, na maioria observados em doenças neurodegenerativas (por exemplo: demências e ataxias) e em outras doenças agudas vasculares ou inflamatórias que cheguem a região inferior do cérebro, ou seja, no tronco encefálico e/ou no cerebelo; ptose palpebral, caracterizando um contexto de doenças neuromusculares e vasculares.

Desta forma, a Neuroftalmologia vem a somar pontos relevantes para uma melhor abordagem de cada caso; adequando uma conduta clínica e potencializando resultados com um tratamento mais direcionado.

Texto por:
Dr. Vinicius Cidral Corrêa CRM-SP 204.853
Dr. Françuilner Santiago dos Santos CRM-SP 202.169

Orientadores:
Dr. Nelson Chamma. CRM-SP 133.544
Dr .Matheus Bedendo Rodrigues da Silva – CRM-SP 204.351