SAÚDE OCULAR E USO EXCESSIVO DE ELETRÔNICOS

Em um mundo globalizado como o que vivemos a utilização de meios de comunicação cada vez se faz mais presente no dia a dia de todos. Atualmente, em decorrência do confinamento, o tempo de utilização de telas, sejam computadores, celulares, ebooks ou tablets, cresceu consideravelmente. Esse excesso de estímulos visuais durante muitas horas seguidas demandam um esforço extra para a visão. Dor de cabeça, olho seco, cansaço e borramento visuais e até mesmo desvio ocular (estrabismo) tem sido problemas muito frequentes frente a essa nova realidade.

QUAIS SÃO OS EFEITOS OCULARES DO USO EXCESSIVO DE ELETRONICOS?

  • ACOMODAÇÃO: para enxergar objetos próximos o olho realiza um processo chamado acomodação, que contrai o músculo para mudar o formato da lente (cristalino) e fazer o foco de perto, o uso de telas em menor distancia e com letras pequenas demanda um esforço maior para os olhos, o que pode causar cansaço visual, miopia, borramento visual, dor de cabeça, dor nos olhos, olhos vermelhos e lacrimejamento
  • SUPERFICIE OCULAR: em condições normais, uma pessoa pisca em média 22 vezes por minuto, quando em contato com eletrônicos, ocorre involuntariamente redução do piscar para apenas 5 vezes por minuto, como consequência ocorre secura, lacrimejamento, queimação e sensação de corpo estranho nos olhos
  • SISTEMA OCULOMOTOR: os músculos oculares também são afetados pelo esforço visual, causando diplopia (visão dupla), estrabismo (desvio ocular) e lentidão de foco

QUAIS SÃO OS EFEITOS NAS CRIANÇAS?

Além dos efeitos já citados, as crianças apresentam algumas particularidades como a repetição do comportamento dos pais, transtornos alimentares, problemas posturais, transtornos de sono, miopia, isolamento, sexualização precoce, adicção (vicio), cyberbullying, queda do rendimento escolar, aumento da sonolência diurna, pesadelo e terror noturnos.

COMO PODEMOS REDUZIR OS DANOS?

  • DISTÂNCIA DE TRABALHO:
    Tablets, celulares, ebooks = cerca de 30 cm
    Computador, notebook = cerca de 60 cm
  • REDUZIR O BRILHO DA TELA
  • FILTRO DE LUZ AZUL: a luz azul emitida por eletrônicos causa danos às estruras dos olhos, como córnea e retina (fundo de olho), inibe liberação de melatonina (prejudica a qualidade do sono) e aumenta hormônios do estresse, filtrando a luz azul por meio de telas e óculos específicos para este fim, reduzem-se estes danos
  • POSTURA: deve-se manter cabeça e pescoço eretos, ombros relaxados, cotovelos levemente esticado, punho estável e pés apoiados ligeiramente elevados
  • REGRA 20-20-20:
    20 minutos de tela, olhar objeto a 20 pés, por 20 segundos
    Olhar para longe é descansar os olhos, portanto cada 20 minutos de atividade em frente à tela, é recomendado fechar os olhos durante alguns segundos, abri-los e olhar para longe por 20 segundos para evitar o cansaço visual
  • Equilibrar as horas de atividades online com atividades esportivas, brincadeiras e contato com a
    natureza
  • Espelhar as aulas na TV (aumentar a distancia entre os olhos e a tela)
  • Desligar os eletrônicos 1 hora antes de dormir, ajuda na qualidade do sono

QUAL O TEMPO RECOMENDADO DE USO DE TELAS POR IDADE?

  • De acordo com a organização mundial de saúde (OMS) e a sociedade brasileira de pediatria (SBP), o tempo de uso de tablets ou celulares é:
    Até 2 anos = não usar
    De 2 a 5 anos = máximo 1 hora
    A partir de 6 anos = Maximo 2 horas

O uso de eletrônicos nos dias atuais é muitas vezes inevitável. Homeoffice, aulas online e outras atividades essenciais são realizadas por meio de computadores, tablets e celulares, porém deve-se atentar para as recomendações e restringir quanto possível o uso de telas, evitando assim prejuízos a curto e longo prazo. Em caso de dúvidas ou sintomas, procure um médico oftalmologista.

Autoras:
Fernanda R. Oliveira – CRM/SP 193.695
Thaynara do Carmo – CRM/SP 191.943

Orientadores:
Ediluce Fernandes – CRM 101.286
Nelson Chamma Capelanes – CRM/SP 133.544