Visão X Direção: Fique de olho!

Segundo o Denatran, em 2020 o Brasil possuía cerca de 74 milhões de condutores de veículos como carros, motos e caminhões. A visão é um dos sentidos essenciais para segurança no trânsito, sendo avaliada no exame admissional e de renovação da habilitação. Algumas alterações oculares podem levar a dificuldade na direção, comprometendo a segurança do condutor e dos demais.

Quais doenças podem comprometer a condução de veículos?

  • GLAUCOMA: o glaucoma, que é a lesão do nervo óptico devido ao aumento da pressão intraocular, tem como sintoma inicial a perda de visão periférica, logo o condutor terá dificuldade de visualizar pedestres, ciclistas e motociclistas.
COM O AVANÇO DO GLAUCOMA, O PACIENTE TEM PERDA DA VISÃO PERIFÉRICA ¹
  • CATARATA: o surgimento da catarata leva a sintomas como visão borrada (nublada, anevoada) para longe, dificuldade para enxergar à noite devido a fotofobia (as luzes de semáforos e faróis causam incômodo) e a não visualização de bordas (o condutor passa a não visualizar bem calçadas, por exemplo).
  • MIOPIA E ASTIGMATISMO: são alterações oculares que dificultam a visualização nítida de longe. Podem ser corrigidas com prescrição de óculos, lentes de contato ou até com a realização de cirurgia refrativa. O paciente queixa de cansaço visual e dor de cabeça ao dirigir por períodos prolongados.

Diversas outras doenças oculares podem contribuir com dificuldade na direção. A avaliação com o médico oftalmologista anualmente ou quando surgir algum sintomas é de extrema importância para a segurança no trânsito.

Fonte Imagem:
1 disponível em: https://rsaude.com.br/videos/materia/glaucoma/8082

Referência bibliográfica:
KANSKI, J. J.; BOWLING, B. Oftalmologia Clínica: Uma abordagem sistemática. 7 ed. Elsevier Saunders, 2012.

Autor: Victor de Oliveira Campos (CRM 210.397)
Colaboradores: Thaynara do Carmo (CRMSP 191943) e Vinicius Cidral (CRMSP 204853)
Revisor: Nelson Chamma Capelanes (CRMSP 133544)