Você sabe o que é degeneração macular?

A nossa visão também envelhece e um dos sintomas do passar do tempo é a perda da visão. Uma das doenças que podem levar a esse quadro é a Degeneração Macular Relacionada à Idade, a DMRI. A mazela afeta a visão tanto para longe quanto para perto, atrapalhando, por exemplo, a leitura. Nesse artigo vamos te contar o que é a degeneração macular, como perceber os primeiros sinais da doença e buscar ajuda. Mas primeiro é preciso entender o que é a mácula.

A mácula é uma pequena área da retina responsável por enxergar os detalhes. Ela é essencial para que a gente consiga ler, reconhecer rostos e perceber as cores. Quando essa estrutura fica comprometida a visão central é afetada. Desse jeito, começamos a enxergar as imagens embaçadas e com uma mancha escura cobrindo parte da visão, caracterizando a degeneração macular. Mas o que é essa doença?

Continue a leitura, descubra e se informe.

O que é degeneração macular?

Como te contamos no início deste artigo, a degeneração macular está relacionada ao envelhecimento natural do corpo. Ela é uma das principais causas de cegueira na população mais idosa. Antes, porém, a doença provoca a perda gradual da visão, atrapalhando atividades simples do dia a dia como ler ou dirigir, afetando diretamente a qualidade de vida dessas pessoas. A DRMI é dividida em dois tipos:  

1 – Degeneração macular atrófica: é o tipo mais frequente da doença e acontece pelo envelhecimento e afinamento dos tecidos da mácula. A perda de visão acontece gradualmente, o que faz com que a pessoa conviva durante anos com a doença sem perceber que há algo errado.

2 – Degeneração macular exsudativa: esse tipo de degeneração macular atinge cerca de 10% dos casos da doença, mas é o mais agressivo e preocupante.  Isso porque na forma exsudativa, o distúrbio é caracterizado pelo vazamento de fluidos ou sangue pelos vasos sub-retinianos. Desse jeito a perda de visão acontece rapidamente, sem tempo para que haja tratamento.

As causas da doença ainda não são conhecidas, mas sabe-se que o envelhecimento afeta diretamente a mácula. Além da idade, outros fatores podem ajudar no desenvolvimento como ser do sexo feminino, o excesso de peso, a obesidade e o tabagismo.

CLIQUE NO LINK E LEIA TAMBÉM NOSSOS E-BOOKS:

Quais são os principais sintomas da degeneração macular?

Apesar de a DMRI ser assintomática em vários casos, alguns sinais podem chamar a atenção do paciente, como:

  • Perda gradual da visão;
  • Dificuldade de adaptação em ambientes com pouca luz;
  • Queda na capacidade de reparar detalhes;
  • Redução da intensidades das cores;
  • Visão turva e confusa;
  • Formação de manchas escuras no centro da visão;
  • Dificuldade para ler.

Como é a o diagnóstico e o tratamento?

Muitos casos de degeneração macular são assintomáticos e o paciente só percebe que há algo errado quando a visão já está bem comprometida. Além de fazer consultas regulares ao Oftalmologista, alguns exames podem auxiliar no diagnóstico da doença, como:

  • Angiografia com Fluoresceína: o exame utiliza corantes aplicados por injeção venosa para analisar o fundo do olho e os vasos sanguíneos, buscando e localizando anomalias na retina.
  • Tomografia de Coerência Óptica: para esse exame é utilizada a técnica interferometria de baixa coerência. Com ela é capaz de medir os tecidos biológicos e analisar se há alterações na retina.

O tratamento da degeneração macular pode variar de caso para caso, levando em conta o tipo e a gravidade da doença. Mas a injeção intra-vítrea de medicamento, a cirurgia fotodinâmica e a cirurgia a laser são algumas opções para cuidar do distúrbio. Porém, a melhor alternativa de terapia será decidido pelo médico Oftalmologista após consultas, exames e estudos de cada paciente.